Ministro não responde se controle dos presídios pertence a facções ou ao governo

Andressa Anholete / AFP / Getty Images

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, disse nesta sexta-feira que a nova matança, agora num presídio de Roraima, não aconteceu devido à guerra entre integrantes das facções criminosas PCC e Família do Norte (FDN).

De acordo com o ministro, informações preliminares obtidas junto ao governo de Roraima apontam para um acerto de contas interno entre membros do PCC. Ao menos 33 foram mortos.

Moraes disse ainda que, apesar da segunda rebelião em menos de uma semana, a “situação está sob controle”. No início desta semana, 56 foram assassinados no maior presídio do Amazonas.

Ontem, o presidente Michel Temer foi criticado por classificar o massacre no presídio de Manaus como

Questionado nesta sexta sobre quem detém o controle dos presídios no país, se o Estado ou as facções criminosas, o ministro Alexandre de Moraes tergiversou e disse que o governo federal não tem agentes nos estados, e que a responsabilidade dos presídios são dos governos locais.

No início da tarde desta sexta, o palácio do Planalto informou que o presidente Michel Temer telefonou hoje para a governadora de Roraima, Suely Campos (PP), colocando todos os meios federais à disposição para auxiliar em ações de segurança pública. Temer lamentou o episódio e se solidarizou com o povo do Estado.

A governadora informou que a situação já se encontra sob controle e, neste momento, não será necessária a presença federal.

  SUA REAÇÃO